sexta-feira, 15 de outubro de 2010

ABORTO? CONTRA OU A FAVOR ?

Muito se tem falado ultimamente sobre a questão do aborto. Essa discussão sempre foi polêmica, mas ganhou proporções ainda maiores quando iniciaram-se as eleições 2010 para a Presidência da República. Você poderá ver matérias relacionadas ao modo de pensar dos candidatos nos links abaixo.
Alguns rumores indicaram que a candidata Dilma Roussef era a favor da legalização do aborto.
Relatos paralelos surgiram mais tarde informando o mesmo, porém envolvendo dessa vez o candidato José Serra.
Podemos notar que ambos estão muito mais interessados em conquistar votos do que de fato em defender o que de mais precioso há nessa questão, a vida. Vamos então considerar alguns importantes fatos que merecem ser levados em questão ao analisar-mos essa questão.aborto
Quando começa a vida humana?
“MINHA mãe biológica tinha 17 anos e estava grávida de sete meses e meio quando decidiu fazer um aborto por solução salina”, explicou Gianna. Ela acrescentou: “Eu sou a pessoa que ela tentou abortar. Sobrevivi em vez de morrer.”
Esse depoimento foi dado em 1996 por Gianna, aos 19 anos, numa audiência diante de uma comissão governamental dos Estados Unidos sobre aborto. Com sete meses e meio de gestação, as partes do corpo de Gianna estavam claramente desenvolvidas. Visto que continuou vivendo como pessoa fora do útero, é provável que você concorde que ela já era uma pessoa dentro do útero.

Então, o que dizer quando Gianna era um embrião de 5 semanas, com pouco menos de 1 centímetro de comprimento? É verdade que as partes de seu corpo não estavam totalmente formadas, mas a base de seu sistema nervoso, incluindo o cérebro, já estava estabelecida. Ela tinha um coração que batia 80 vezes por minuto, bombeando sangue pelos vasos. Isso não poderia corretamente ser denominado vida?

Já é uma pessoa no útero?
Desde a concepção, o bebê não é apenas um tecido materno, e sim uma pessoa à parte. O organismo da mãe o considera um corpo estranho que seria prontamente rejeitado se não fosse o “mundo protetor” criado dentro do útero. Essa nova vida humana — separada da mãe pelo abrigo protetor — éuma pessoa com um DNA exclusivo.
Alguns argumentam que se o corpo de uma mulher aborta espontaneamente óvulos fertilizados por causa de anormalidades, por que então um médico não poderia interromper uma gravidez? Bem, existe uma grande diferença entre morte espontânea e assassinato. Em um país sul-americano, 71 crianças em cada mil morrem em seu primeiro ano de vida. Mas seria aceitável matar uma criança com menos de 1 ano só porque tantas morrem de modo prematuro? É claro que não!
Principais métodos abortivos
  • Aborto médico ou aborto químico é uma técnica de aborto induzido que consiste na administração de fármacos com o objetivo de provocar a interrupção da gravidez sem recorrer a práticas cirúrgicas.
  • Dilatação e evacuação é uma técnica de aborto induzido utilizada em fetos a partir do terceiro mês de gestação até o quinto mês.
    Consiste em se dilatar o útero da mulher utilizando-se de lâminas. Após a dilatação, o feto é desmembrado para que seus pedaços possam ser retirados. É uma técnica que contém riscos de perfuração uterina.
  • O misoprostol é a versão sintética da prostaglandina E1 usado no tratamento e prevenção de úlcera do estômago. Esta substância também é usada ilegalmente como abortivo.
    Esta prostaglandina sintética quando age no útero causa aumento das contrações do miométrio (músculo do útero, localizado internamente ao endométrio), o que em mulheres grávidas pode causar aborto.
  • Aborto por sucção é uma técnica de aborto utilizada até doze semanas de gestação.
    Consiste em se ligar um aparelho de sucção ao útero da gestante. O aparelho cria uma sucção que despedaça o feto e a placenta. É um método muito usado nos países desenvolvidos
O que a mãe sente
aborto-1Como se dá com outras técnicas médicas, o aborto acarreta certa medida de risco e de dor. Durante a gravidez, o colo do útero, ou cérvix, fica hermeticamente fechado para manter o bebê seguro. Dilatar o colo do útero e inserir instrumentos pode ser doloroso e traumático. O aborto por sucção pode levar mais ou menos 30 minutos, durante os quais algumas mulheres talvez sintam dores de moderadas a intensas e cãibras. No aborto por solução salina, induz-se trabalho de parto prematuro, às vezes com a ajuda de prostaglandina, substância que dá início ao trabalho de parto. As contrações podem durar horas ou até dias e podem ser dolorosas e emocionalmente extenuantes.
Entre as complicações imediatas do aborto estão hemorragia, danos ou lacerações no colo do útero, perfuração do útero, coágulos sanguíneos, reação à anestesia, convulsões, febre, calafrios e vômitos. O perigo de infecção é especialmente alto quando pedaços do bebê ou da placenta ficam no útero.
O que o bebê sente
O que sente o bebê que, aninhado em segurança no aconchego do útero da mãe, é subitamente atacado com força mortífera? Só se pode imaginar, pois essa história nunca será contada em primeira mão.
aborto8A maioria dos abortos é realizada nas primeiras 12 semanas de vida. Nesse estágio, o pequenino feto exercita a respiração e a deglutição, e seu coração já bate. Ele pode dobrar os dedinhos dos pés, fechar a mãozinha, revirar-se em seu mundo aquoso — e sentir dor.
Muitos fetos são arrancados do útero e sugados para dentro dum recipiente por um tubo de vácuo com extremidade pontuda. Esse processo é chamado de aspiração a vácuo. A possante sucção (29 vezes superior à potência dum aspirador de pó doméstico) dilacera o corpinho. Outros bebês são abortados por dilatação e curetagem, processo em que um bisturi em forma de alça raspa a parede interna do útero, fazendo em pedaços o bebê.
Fetos com mais de 16 semanas podem morrer pelo método de aborto por solução salina, ou envenenamento por sal. Uma longa agulha perfura a bolsa d’água, retira parte do líquido amniótico e o substitui por solução salina concentrada. À medida que o bebê engole e respira, enchendo seus delicados pulmões com essa solução tóxica, ele se debate e tem convulsões. O efeito cáustico do veneno destrói a camada superficial de pele, deixando-a em carne viva e engelhada. O cérebro pode apresentar hemorragia. Uma morte dolorosa talvez ocorra dentro de algumas horas, embora vez por outra, quando o trabalho de parto começa mais ou menos um dia depois, o bebê seja expulso ainda vivo, mas agonizante.
ABORTO22

Assim, podemos afirmar que desde o primeiro dia de existência, ainda que no útero, há uma vida humana envolvida. E essa vida, assim como as demais, deve ser respeitada. A nação brasileira demonstrou e continua a demonstrar de forma geral que reconheçe isso e que é contra a legalização do aborto. Sim, a vida, desde a sua origem, é e continuará a ser o nosso maior bem a ser defendido.
Postar um comentário

COMENTE!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...