quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Notas....

Inglês quer se casar com o videogame Enquanto muitos passam a vida a procura do verdadeiro amor, Dan Holmes, de 29 anos, busca por um padre que aceite celebrar a cerimônia de casamento entre ele e seu par: um videogame Playstation2. O inglês, morador da cidade de Oxfordshire, alega já ter gasto cerca de sete mil libras (aproximadamente R$23,5 mil) em cartuchos e consoles, e quer que o próximo passo de sua relação com o aparelho seja o matrimônio. Dan, que ainda não conseguiu formalizar seu amor religiosamente, já o fez de forma legal, mudando seu nome para Playstation 2. A Sony, fabricante do videogame, afirmou que o caso mostra uma "enorme lealdade" do jogador.
Fonte: Popular

A ineficiência da burocracia A burocracia é um mal universal. Em 1949, a Prefeitura de Paris, procurando salas disponíveis para instalar novos serviços, descobriu que ainda funcionava o Departamento de Indenizações dos Prejuízos causados pela Enchente de 1910. A seção era atendida por dois funcionários idosos, que revelaram ter pago a última indenização devida em 1913, ou seja, 36 anos antes.
Lei ainda regulamenta profissões antigas Desejando reduzir as 12.666 leis municipais em vigor na cidade de São Paulo, os vereadores descobriram que ainda vigora uma legislação de 1927, regulamentando as profissões de motorneiro de bonde e de cocheiro de carruagens, ambas já extintas. Daqui a 70 anos, muitas profissões atuais terão o mesmo destino.

Homem foi sete vezes atingido por raios O norte-americano Roy Sullivan foi atendido sete vezes em hospitais, entre 1944 e 1977, por ter sido atingido por raios, porém nunca sofreu mais do que queimaduras leves. Sullivam morreu apenas em 1983, sem que nenhum raio o tivesse atingido. Ele suicidou-se devido a um desengano amoroso.
Maior erro judiciário do Brasil Os irmãos Naves - Sebastião e Joaquim - foram as vítimas do maior erro judiciário cometido no Brasil. Viviam em Araguari, Minas Gerais. Em 1937, hospedaram um primo, Benedito Pereira Caetano, que desapareceu depois de ter vendido uma carga de arroz furtada. Torturados pela Polícia e obrigados a confessar que haviam matado o primo, os irmãos foram condenados a 25 anos e 6 meses de prisão, apesar não haver prova do crime nem mesmo o corpo da suposta vítima. Dez anos mais tarde, o "falecido" apareceu muito vivo em outra cidade, e os Naves foram libertados.

Postar um comentário

COMENTE!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...