segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Boa relação sexual dura minutos, não horas, dizem os terapeutas



Uma satisfatória relação sexual para casais dura de 3 a 13 minutos, ao contrário da fantasia popular sobre a necessidade de horas de atividade sexual, segundo uma pesquisa dos EUA e terapeutas sexuais canadense.
 Os pesquisadores Eric Corty e Jenay Guardiani realizaram uma pesquisa com 50 membros da Sociedade para Pesquisa e Terapia Sexual, incluindo psicólogos, médicos, assistentes sociais, terapeutas de casamento / família e enfermeiros que, coletivamente, atenderam milhares de pacientes durante décadas .
 O grupo respondeu uma avaliação com um conjunto de valores de tempo para a relação sexual, da penetração da vagina pelo pênis até a ejaculação,
atribuindo valores á, adequado, desejável, muito curto e muito longo.
 As médias das respostas dos terapeutas"definindo os intervalos de tempo de atividade sexual" adequado ", 3-7 minutos," desejável ", 7-13 minutos," demasiado curto "de 1-2 minutos e" demasiado longo "de 10 -30 minutos.
 "Homens e mulheres tem uma interpretação de seu funcionamento sexual, bem como o do parceiro baseado em crenças pessoais desenvolvidas em parte das mensagens da sociedade, formais e informais", disseram os pesquisadores. "Infelizmente, a cultura popular atual reforçou estereótipos a respeito da atividade sexual. Muitos homens e mulheres parecem acreditar na fantasia de pênis enormes, ereções hard-rock e as relações sexuais que duram uma noite inteira".
Pesquisas anteriores descobriram que uma grande porcentagem de homens e mulheres, que responderam, queria que a relação sexual durasse 30 minutos ou mais.
 "Esta parece ser uma situação propícia para decepção e insatisfação", disse o autor Eric Corty, professor de psicologia. "Com essa pesquisa, esperamos dissipar estas fantasias e encorajar homens e mulheres com informações realistas a respeito de relações sexuais aceitáveis, evitando decepções e disfunções sexuais."
 Corty e Guardiani, então estudante de graduação e pós-graduação numa universidade, estão publicando seus resultados no Journal of Sexual Medicine, mas o artigo está disponível online.
A pesquisa também tem implicações para o tratamento de pessoas com problemas sexuais existentes.
 "Se um paciente está preocupado com quanto tempo deve durar a relação, estes dados podem ajudar a mudar o paciente que deve ser inicialmente tratado com aconselhamento, ao invés de remédios", observou Corty.

Postar um comentário

COMENTE!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...